David Gilmour emociona ao encerrar turnê no Brasil em Porto Alegre

O guitarrista inglês David Gilmour, ex-integrante do Pink Floyd, encantou milhares de pessoas ao encerrar a turnê no Brasil na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, na noite de quarta-feira (16). Fãs de todas as idades, em maioria trajando camisetas do artista e da banda que o consagrou, cantaram junto com o músico no show que durou pouco mais de duas horas e meia.

Alguns mais emocionados chegaram a derramar lágrimas. Segundo a organização do evento, o público foi estimado em 40 mil pessoas.

Antes mesmo das 21h, hora prevista para dar início ao espetáculo, Gilmour subiu ao palco. Era 20h55 quando ele abriu a apresentação com a instrumental "5 A.M", do trabalho solo "Rattle that Lock", que dá nome a turnê.

Não demorou, no entanto, para que fossem relembradas as faixas dos tempos de Pink Floyd, empolgando ainda mais o público que ocupava praticamente todos os espaços do estádio.

A primeira a surgir no setlist foi "Wish You Were Here". Gilmour sacou o violão e dedilhou as primeiras notas, para delírio do público. Logo a letra da balada ecoava por toda a Arena. Muitos fãs batiam no peito e choravam.

Em seguida teve "Money", cujo destaque foi o saxofonista brasileiro João de Macedo Mello. Com apenas 20 anos, o jovem curitibano ainda arrancaria aplausos e gritos da plateia em "Us and Them".

Gilmour não interagiu muito com a plateia. Mas também não precisava. Se limitava a agradecer com seguidos "thank you very much" ao ouvir o público gritar em coro seu nome, e arriscava o português com um "obrigado" cheio de sotaque inglês.

O espetáculo teve uma breve pausa de 15 minutos. A segunda etapa teve ainda mais sucessos do Pink Floyd: "Shine On You crazy Diamond" foi cantada com força.

Assim como em Curitiba, Gilmour trocou "On an Island" por "Coming Back To Life", excluída das apresentações em São Paulo. A segunda etapa foi concluída com "Run Like Hell", uma das únicas composições de Gilmour para o clássico "The Wall", que o colega Roger Waters apresentou em Porto Alegre em 2012.

Gilmour e banda nem bem deixaram o palco e despertadores logo começaram a soar na Arena. Era "Time" anunciando o bis. Ao final, Gilmour emendou “Confortably Numb”, novamente fazendo milhares se emocionarem com o clássico e inesquecível solo de guitarra.

Fãs de todas as idades e lugares
Apesar da presença de alguns jovens e até adolescentes, grande parte do público era formada por pessoas mais velhas, na faixa de 40 anos. Alguns viajaram de outros estados para ver o ídolo pela primeira vez, como Jorge Coral, de 60 anos, que mora em Criciúma (SC).

"Não tem explicação o que representou o Pink Floyd representou para a nossa geração. É uma coisa fantástica. É o símbolo da nossa liberdade. Sinto muita gratidão por tê-los conhecido", diz o fã, emocionado.

O show em Porto Alegre foi o quarto de uma série que começou com duas apresentações, em São Paulo, nas noites de sexta (11) e sábado (12), e depois em Curitiba, na última segunda (14). Da capital gaúcha, ele parte para apresentações na Argentina e Chile.

Rafaella Fraga e Roberta SalinetDo G1 RS e da RBS TV

Informações

Autor: Web Rádios

Data: 17/12/2015 10:54

Acessos: 479 Acessos